Você já considerou a possibilidade de atuar na área da Consultoria?

17 de janeiro de 2019

Afinal, ninguém mais para aos cinquenta. Homens e mulheres aposentam/reformam  saudáveis, novos- viverão mais que seus pais- em estágio avançado de necessidades, preparados, influentes, conhecidos pelas redes, conscientizados, e  procuram, ativamente, o protagonismo da própria vida e do trabalho.

Reúnem  experiência, conhecimento e gosto para ingressar no mercado da Consultoria- de alta competitividade, autodesenvolvimento permanente  e forte demanda por profissionais experientes- ,contudo necessitam  reorganizar as múltiplas competências, trabalhar a apresentação, a comunicação, o marketing, o passo a passo da venda da consultoria, da fase de Diagnóstico até a entrega do trabalho ou do acompanhamento.

A Consultoria, independente da  área de formação,  é o caminho cada vez mais atrativo no cenário de transformações aceleradas pelo qual passa o mundo do trabalho. É uma atividade que vai ser ainda mais procurada pelas organizações e pessoas  e, ao mesmo tempo, é imune à disrupção, a mudanças aceleradas, bruscas e frequentes neste século automatizado;  no passado a datilografia, os envelopes, os mimeógrafos, os mensageiros, ainda por um tempo conviveram com o telex e o fax.

Hoje e-mails substituíram os correios, as gráficas mirraram, os envelopes,  também. Nos encontros, as conexões,  são mais virtuais e menos presenciais. Executivos e advogados não conseguem mais usar diariamente as gravatas. Magistrados, sim, com as togas. Por quanto tempo? E os livros? Mudanças frequentes, velozes e destruidoras com o advento das tecnologias da informação e comunicação.

Temos + Wikipédia e menos – dicionários, +Netflix- cinemas, +OLX- classificados, +Uber- táxis, +You tube- TV, +Facebook- sites, + Cursos/Faculdades Online- presenciais, +WhatsApp- fones, e-mail, +Nuvem- pen drive, +Redes sociais- meios de comunicação impressos…+ transporte coletivo, bicicletas, patinetes- carros  + home office, coworking- escritórios, salas…

Quanto tempo durará uma inovação? Para qual mundo os jovens estão sendo preparados pelas escolas públicas, privadas e técnicas? E pelas faculdades? Para o mundo automatizado, do desemprego e do aumento da violência?

Máquinas substituem homens e mulheres, jovens e adultos.  Há saída na Consultoria?

Uma é a formação de parcerias* para aglutinar saberes, comportamentos, competências, experiências, instigar o pensamento, a criatividade, a inovação.  Acolhe jovens e os maduros, estes dos quarenta aos oitenta e…, que conciliam acessos a horários e dias de semana para trabalhar, uns ainda no 2ª a 6ª  horário comercial e outros enviando WhatsApp aos domingos às 21h…  Perseguem a convivência harmoniosa.

Enfim, os que ainda permanecem ou os que ora ingressam nas organizações públicas e privadas devem se preparar ininterruptamente, a fim de não ficarem à mercê de abalos organizacionais e tecnológicos, da queda brusca, constante e inexorável do emprego.   Há pouco eram desligados quando recém- chegados à jovialidade dos quarenta/cinquenta anos, agora mesmo se mais jovens, quando a tarefa se torna repetitiva, organizações em processo de fusão, de fim do ciclo produtivo, de redução de seus quadros, ou por opção porque não vêem aproveitadas as suas potencialidades ou daquelas que por não primarem por boas práticas, não são felizes. Não fazer, é temerário.

*Perfil das Empresas de Consultoria 2018 www.laboratoriodaconsultoria.com.br/site/

Luiz Affonso Romano é consultor organizacional, coach para desenvolvimento em consultoria, professor dos Cursos de Desenvolvimento de Consultores- Presencial e Online e coordenador da pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil ( edições 2014/15/16, 17 e 18)

Share Button

1 Comment

  1. Carlos R Velloso · 6 de janeiro de 2019 Reply

    O ano de 2019, com as perspectivas e expectativas de uma nova retomada no crescimento da economia do país, acompanhada de fusões/aquisições e novas tecnologias e processos ‘derrubando’ empresas, deverá, sem dúvidas, demandar uma maior atividade dos Consultores e empresas de consultoria que trabalham seguindo princípios éticos e demonstram capacidade para adaptar e transformar organizações.
    Carlos R Velloso
    Diretor de Desenvolvimento Profissional da ABCO
    Conselheiro de Administração e Conselheiro Fiscal Independente
    Coordenador de Capítulo IBGC-SC

Leave a reply