Mais uma Diretriz da Consultoria

2 de março de 2017

O Consultor dever ter, como prática normal de desempenho, a comunicação oral e escrita, base de seu relacionamento com outros Consultores e Clientes.

Este ambiente participativo de interações é a chave para abrir as portas do bom êxito em seu negócio, em sua atividade. Muitas vezes, um ótimo cliente é resultado da conversa com colegas consultores, clientes, ex-clientes.

É necessário que participe moderadamente da rede profissional de consultores, “fazendo-se ver”, como articulista, opinando acerca da atividade  e  questionando intervenções públicas, sugerindo encontros e temas, apontando nichos, divulgando oportunidades.

Segundo o Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil, quase 90% das contratações  de serviços de consultoria advém de indicação de Cliente satisfeito (o boca a boca) e aproximadamente 60% de colegas consultores.

Luiz Affonso Romano é consultor organizacional, coach de consultores, professor do Curso de Desenvolvimento de Consultores, autor do Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil – 2014, 2015 e 2016.

Share Button

2 Comments

  1. Claudia Ferrari · 6 de março de 2017 Reply

    A parceria entre consultores é fundamental para abranger toda a demanda dos clientes.
    Mas, a confiança deve ser assegurada!
    Se um consultor é especializado em sistema de gestão e outro em supply chain, o cliente pode se beneficiar contratando apenas um deles e tendo os dois serviços.
    A confiança no trabalho é regra chave neste processo.
    O cliente confia no consultor A que confia no consultor B.
    Se o consultor A colocar o consultor B na empresa do cliente dizendo ao cliente que B vai atendê-lo adequadamente, é bom que isso seja verdade senão toda a cadeia de confiança será destruída.
    Isso posto, convém que nos associemos com bons clientes e com bons consultores. Esse refinamento é feito naturalmente, conforme os serviços vão sendo desenvolvidos.
    Consultores, atenção: não traiam seus pares!
    Claudia Ferrari – 06-03-17
    Consultora

  2. Carlos Peixoto · 6 de março de 2017 Reply

    Bem colocado, amigo Consultor Romano.
    Cada vez mais fica comprovada a importância do desenvolvimento e da constante manutenção da rede de contatos. Não no sentido da lista de amigos e colegas que só se ativa quando de uma necessidade premente, mas a que resulta do cultivo frequente, da ligação ou da mensagem enviada sem um fim específico. Da contribuição desinteressada, da assistência ao colega que precisa de uma indicação. Da referência mútua, da sugestão de leitura relevante, do comentário e da crítica construtivos, etc.
    Obrigado por trazer esse assunto à discussão.
    Carlos Peixoto
    Consultor

Leave a reply