Lideranças de diferentes segmentos buscam conhecimento para melhorar a comunicação corporativa

17 de março de 2017

Técnicas de mediação de conflitos e Comunicação Não-violenta foram os principais temas que mobilizaram participantes de workshop realizado na Câmara de Comércio França-Brasil.

Os desafios de comunicação que o atual cenário econômico do País impõe às lideranças nas empresas – principalmente nos campos dos relacionamentos pessoais, da mediação profissional e da administração de crises – foram os aspectos mais levantados durante o workshop ‘Comunicação Colaborativa para Líderes – Módulo I’, organizado na Câmara de Comércio França-Brasil, Centro do Rio, no último dia 17. O treinamento foi conduzido por Marie Bendelac Ururahy, especialista em coaching voltado para a performance e o bem-estar, além de sócia-diretora e cofundadora da Be Coaching Brasil, e sua sócia, Wanda Quadra, psicóloga certificada em Executive & Wellness Coaching.

Com duração de um dia, das 9h às 18h30, o Módulo I foi composto de apresentação, debates e exercícios que demandavam às pessoas soluções para situações de conflito ou que exigem habilidades da Comunicação Não-violenta. O objetivo do treinamento – que reuniu líderes e executivos de diferentes áreas, como Consultoria Corporativa, Óleo e Gás, Hotelaria, Recursos Humanos e Direito – é mostrar as técnicas para estabelecer um clima de confiança e engajamento.

“Fiquei muito feliz com os resultados, era uma turma especial e muito ativa, e todos demonstram interesse em dar contribuições. Ao final, 100% dos participantes avaliaram o workshop com nota máxima”, conta Marie, que é formada em Administração e Wellness Coaching, no Brasil e nos Estados Unidos, pelo Departamento de Psicologia de Harvard.

“Vale destacar que os resultados desse tipo de treinamento podem variar, porque dependem muito dos perfis dos participantes e da interação entre eles. E os debates e exercícios geram diferentes reações também, porque mexem com opiniões, valores e sentimentos. Mas há sempre um nível importante de aproveitamento. Em geral, as pessoas saem transformadas de alguma forma”, diz Wanda.

O cenário de crise no país vem aumentando o interesse de organizações e pessoas em ferramentas que promovam o entendimento nos ambientes corporativos. “O workshop ofereceu essa oportunidade. E os exercícios propostos simularam situações que ocorrem todos os dias, o que deixou todos bastante envolvidos. Excelente”, avalia Luiz Affonso Romano, presidente da Associação Brasileira de Consultores (ABCO) e diretor do Laboratório da Consultoria.

Dados de pesquisa realizada pelo especialista em Neurociência e Neuroeconomia Paul Zak – publicados na revista Harvard Business Review em janeiro deste ano – mostram que funcionários das empresas que estimulam a confiança no trabalho são 50% mais produtivos, 74% menos estressados e 76% mais engajados. Já segundo o Gallup Institute, as organizações nas quais o engajamento de pessoas é maior são 22% mais lucrativas e 21% mais produtivas. De acordo com Marie, de uma média de 30 inscritos no primeiro semestre de 2016, as inscrições para palestras em torno desse tema quase dobraram na segunda metade do ano passado, passando para mais de 50.

 

Engajamento Marie-Wanda2

Engajamento Turma2

Share Button

Leave a reply