Construindo o destino: de executivo à consultoria

Quando falamos de consultoria, vem-nos logo à mente uma nova oportunidade de carreira, plena de promessas, realizações e satisfações pessoais. Essa nova oportunidade pode ser implementada dessa forma sim, mas não é tão simples como parece.   Assim que chegamos ao ponto dessa virada, temos toda a convicção do mundo, que a experiência acumulada aos longos dos anos, em diversos segmentos, basta, e que o resto virá por si só. A experiência é muito importante sim, mas por si só não basta! Esse foi o meu caminho e minhas decisões. No fatídico momento da virada, várias questões vitais permearam meus pensamentos: que caminho seguir, mudo de área ou não, daí penso que continuar no mesmo ramo onde terminei minha carreira profissional é o mais lógico, mas como fazer isso, essa era a questão.
A Consultoria necessita de uma postura muito diferente do que a que eu tinha até então. Não que meus conhecimentos não bastassem, talvez até sobrassem; o negócio é que agora a banda tocaria muito diferente do passado recentíssimo. O ajustamento desse novo passo, sozinho fica muito difícil, você vai andar desnorteado por vários lados e perder o norte sem sombra de dúvida. Exceções existem, mas são bem poucas.  Nesse momento você precisa descer ao planeta terra, praticar sua humildade, e dizer:  preciso de ajuda para prosseguir com qualidade e segurança. E assim foi feito, procurei o Curso de Desenvolvimento de Consultores, onde tive o enorme prazer de me deparar com o Paulo Jacobsen e Luiz Afonso Romano, que durante minha formação me deram o Norte tão procurado, que eu não conseguia vislumbrar.

Após essa formação, aí sim, me senti com segurança máxima para seguir adiante, mesmo permanecendo na área de Logística Internacional onde militei por mais de 25 anos.  Toda minha experiência aliado à nova postura de Consultor, fazia todo o sentido.  Muda tudo na sua cabeça, um consultor deve ter a mente absolutamente aberta e lidar com todos os sentimentos humanos. Você vai lidar ainda mais com pessoas, com empresas como um todo, vai opinar e traçar novas diretrizes, você vai mudar destinos. Você vai ter que se vender, agora você é a sua própria marca, e vai ter que se virar sozinho. Aquele lance do Umberto Reis da Saint-Gobain, acabou, não me servia mais, me ajudaria sim a traçar meus caminhos com a reputação que ali criei.
Um Consultor tem por obrigação de transmitir seriedade, ética e tato para lidar com as pessoas, e fazer com que essas pessoas desenvolvam suas ideias, você não é o mentor não é o executor. Não podemos mais misturar amizades e companheirismos, é o profissional que vai contar, você tem que se valorizar em 100% de suas ações, não tem mais essa de dar conselhos, agora você vende ideias e conceitos, você vive disso, é o seu negócio. Durante o curso exercitamos todos esses aspectos até que eles se tornem inerentes à nossa pessoa e à nossa nova realidade. Isso muda tudo.

 

A partir daí segui em frente com minhas consultorias em logística em suas diversas variantes, desde palestras, cursos, seminários até trabalhos desenvolvidos “in House” para alavancar novos negócios. São asas poderosas que te levam longe se você fizer como deve ser feito, ou te derrubar no primeiro voo, se você não atentar para esses pontos. Assim participei da fase inicial dos projetos de exploração do petróleo no Pré-sal brasileiro, passei um tempo no nordeste brasileiro acompanhando o desenvolvimento da indústria náutica e portuária, tive uma incrível experiência de dois anos em São Paulo trabalhando com empresas de primeiríssima linha, ali é o Brasil que dá certo, e participando como conferencista em seminários internacionais de logística como o “Break Bulk Conference”  organizados pelos Estados Unidos, etc.

 

Uma vez em São Paulo fui convidado para desenvolver um projeto inovador para atendimento das plataformas de petróleo na zona do pré-sal, em Rotterdam na Holanda, por dois anos, onde pude constatar como um país sério cuida da sua logística, com visão para a frente de 30 anos. Tudo é impecável em todos os aspectos, moderníssimo e sem nenhuma complicação.   Uma pena que nosso cada vez mais combalido Brasil esteja a séculos de distância de tudo isso.  Terminado esse projeto, decidimos por questões pessoais não mais retornar ao Brasil e assim me radiquei em Paris e resolvi iniciar um novo desafio como Conselheiro Imobiliário. Mais uma vez entrei na escola, escolhi um parceiro sério, e vou me formar e seguir em frente. Em todas essas   etapas os conhecimentos adquiridos no curso de Desenvolvimento de Consultores foram primordiais, me dando a base e a tranquilidade necessárias para o desenvolvimento dessa nobre e tão discutida atividade.

Umberto Reis

Consultor em Logística Internacional e Conselheiro Imobiliário na França.

Share Button

2 Comments

  1. Carlos Peixoto · 9 de junho de 2017 Reply

    Excelente relato de sua experiência pessoal, Umberto. Parabéns pelo seu sucesso. As referências pessoais são muito importantes no desenvolvimento da carreira do Consultor.
    Carlos Peixoto
    Consultor

Leave a reply